Pç. Barão do Rio Branco, 14, Sala 121 Santos - SP
Segunda à Sexta 8:30 às 17:30

Valéria Helbig

Valéria Helbig

Rotina de uma tradutora: como trabalhamos?

Publicado em 07 de janeiro de 2019

Categoria: Tradução

Rotina de uma tradutora: como trabalhamos?

O dia começa assim: abrimos a porta do escritório e ligamos todos os computadores e ar-condicionado. Em seguida, verificamos e-mails, fazemos novos orçamentos e respondemos clientes. Se tivermos alguma tradução em andamento, damos continuidade. Se não, iniciamos a próxima.

No meio da manhã, a pausa para o café é essencial (caso você não saiba, o café é o combustível dos tradutores — ficar horas diante da tela do computador, resolvendo enigmas linguísticos e vocabulares numa tradução, é mentalmente desgastante). Ter os dias estruturados em uma rotina ajuda bastante no gerenciamento de tempo.

No entanto, como em todas as profissões, também enfrentamos imprevistos. Serviços de urgentes surgem sem aviso, clientes novos que preferem passar presencialmente no escritório para fazer orçamentos e deixar seus documentos requerem atendimento instantâneo e atencioso. Nos dias mais atípicos, podemos ter problemas técnicos e passar longos minutos (na melhor das hipóteses) em modo de espera até esses problemas serem resolvidos e para podermos continuar nosso trabalho. Faz parte.

É tudo muito organizado e sem maiores agitações para o nosso próprio bem. Pelo menos, no ambiente em si. O maior burburinho ocorre dentro das nossas cabeças quando nos deparamos com um desafio na tradução e as engrenagens entram em funcionamento para tentar descobrir, entre tantas coisas, o que o chinês quis dizer quando se atreveu a escrever aquele documento em inglês. Porque a responsabilidade de fazer o texto compreensível, no sentido correto, está em nossas mãos. O relógio corre e o prazo está ali. O trabalho na tradução funciona em um dinamismo moderado, que não nos deixa ficar entediadas, enquanto passamos horas sentadas ouvindo música ambiente.

Quando o expediente está próximo de terminar, fechamos as persianas, desligamos o ar-condicionado, respondemos àquele e-mail que chega às 17h29 prometendo que faremos aquele orçamento de tradução na manhã do dia seguinte, desligamos os computadores e apagamos as luzes.

No dia seguinte, abrimos a porta do escritório e ligamos todos os computadores…

Yuriko Yogi
Assistente de Tradução

Voltar
Compartilhar